Você tem dúvidas sobre como abrir uma transportadora? Aqui no SimplesCTe, recebemos o contato de empreendedores que pretendem abrir uma empresa de transportes, mas ainda desejam esclarecer alguns pontos sobre a documentação exigida.

Para te ajudar com isso, preparamos este artigo com tudo o que você precisa saber. Acompanhe as próximas linhas e, se restar alguma dúvida, deixe um comentário no final, combinado?

Antes de começar a leitura, você pode dar uma olhada no vídeo abaixo, onde o Nathan explica os pontos principais de uma forma rápida e resumida. Lembrando que no Canal do SimplesCTe no Youtube você encontra mais conteúdos em vídeo que podem lhe ajudar também.

O que você precisa saber para abrir uma transportadora

“Um dia nunca é igual ao outro numa transportadora”.

Essa frase é comum nas empresas de transporte, não é? Deixa claro que esse ramo é pra quem não gosta de rotina, mas que ama vencer desafios com coragem e se renovar todos os dias pra sempre entregar o melhor. Isso é o que nos move aqui no SimplesCTe também. 

Quando alguém pensa em abrir uma empresa, é muito provável que já tenha em mente em qual ramo deseja trabalhar. Então, pra começar a conversa, surge a pergunta: que tipo de transportadora você pretende abrir? 

Definindo o perfil da operação de transporte

Se você quer entender como abri uma transportadora, antes de mais nada é preciso definir seu plano de negócios e escolher o perfil da operação de transporte.

Sua transportadora vai trabalhar com carga fracionada ou carga fechada? Se for carga fechada, vai ser líquida ou química? Essa decisão é que vai orientar a escolha do veículo adequado, a legislação a ser seguida e o valor do frete a ser cobrado. Veja alguns exemplos:

  • Transporte de mercadorias (coleta e entrega de encomendas);
  • Transporte de cargas perigosas (combustíveis, gases industriais e outros produtos químicos); 
  • Transporte de cargas especiais indivisíveis (que exigem veículos especiais, normalmente com prancha); 
  • Transporte de medicamentos;
  • Transporte de mudanças;
  • Transporte de veículos.

Percebe as diferenças entre os tipos de transporte rodoviário nessa lista? Analisando bem, fica claro que cada perfil de operação vai exigir veículos e documentações compatíveis com a carga. Afinal, cada segmento tem suas regras e ninguém quer ter problemas com a fiscalização.  

Montando o plano de negócios da transportadora

O termo parece complicado e burocrático, mas não é bem assim. Um plano de negócios é que vai proporcionar uma visão mais ampla e concreta sobre os seus objetivos ao abrir uma transportadora. Também ajuda a entender melhor o mercado no qual sua empresa vai atuar.

Pra começar, prepare um documento descrevendo os serviços que sua transportara se dispõe a prestar. Defina o quanto pretende investir, quantos funcionários serão necessários pra fazer tudo funcionar, quantos e quais veículos a empresa vai precisar. 

Outra informação importante é definir o seu público-alvo, ou seja, “pra quem” sua transportadora vai prestar serviços. Pesquise e entenda, também, quem são seus concorrentes e quais são os pontos fortes e fracos deles. Isso vai lhe dar uma visão melhor dos desafios e conquistas que poderá ter pela frente.

Pra te ajudar com isso, segue uma lista de informações básicas pra você começar a montar o plano de negócios de uma transportadora:

  • O que é o negócio?
  • Qual será a área de atuação?
  • Quem é seu público-alvo (varejo, indústria, distribuidores, e-commerce)?
  • Quais serviços serão oferecidos?
  • Onde a empresa estará localizada?
  • Qual o montante de capital a ser investido?
  • Quanto deve ser o faturamento mensal ideal?
  • Qual o prazo ideal de retorno do capital investido?

Por que escolher bem a localização é tão importante?

Você pesquisou e encontrou um local de fácil acesso rodoviário para as principais vias da região, o que é fundamental para poder trabalhar com agilidade. Mas não esqueça de conferir se o tráfego de veículos de carga também é permitido nesse local.

Alguns aspectos legais, como licenças e regulamentações, também devem ser verificados na Prefeitura da sua cidade antes de fechar contrato, pois há regiões que não permitem o funcionamento de transportadoras. O cuidado com isso deve ser redobrado caso sua empresa de transportes pretenda trabalhar com produtos químicos.

Posso abrir uma transportadora incluindo pacotes de serviços? 

Algumas empresas de transporte oferecem apenas o frete, enquanto outras criam pacotes de serviços para seus clientes. Exemplos disso são a armazenagem de mercadorias e a paletização.

Esses tipos de pacotes de serviços exigem espaço físico adequado, funcionários capacitados, apólices de seguro, dentre outras necessidades. Mas, ao mesmo tempo, podem agregar valor para sua empresa no mercado e gerar mais opções de faturamento.

Se você gostou da ideia, não esqueça de adicionar e avaliar bem essas possibilidades ao montar o plano de negócios da transportadora. Peça ajuda de um profissional contábil de sua confiança pra começar do jeito certo.

Uma empresa de contabilidade vai lhe ajudar não apenas com a documentação, mas também na definição do melhor regime tributário para sua empresa, o que evita prejuízos no futuro.

Qual a estrutura que precisa para abrir uma transportadora?

Para abrir uma empresa de transporte de cargas, você vai precisar de:

  • Veículos de carga adequados para o tipo de operação;
  • Local para armazenar e organizar as mercadorias, equipado com balança para pesagem destas;
  • Galpão para guardar a frota;
  • Escritório equipado com móveis e equipamentos para cuidar da administração do negócio;
  • Contratar colaboradores para setores como: comercial, operacional, administrativo, etc. 

Essa é a estrutura mínima que uma transportadora de pequeno porte precisa para começar.

Documentos para abrir uma transportadora

Assim como na abertura de qualquer empresa, abrir uma transportadora também exige uma série de documentos:

  • Inscrição no CNPJ/MF;
  • Inscrição Estadual;
  • Contrato Social registrado na Junta Comercial;
  • Cópia autenticada do RG e CPF do proprietário;
  • Alvará de funcionamento para transporte rodoviário;
  • Relação dos veículos que compõem a frota;
  • Área de atuação da transportadora;
  • Endereço completo da matriz;
  • Relação de filiais (se houver);
  • Providenciar o RNTRC (Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas) na ANTT;
  • Ter seguro de carga (saiba mais aqui).

O que precisa para emitir Conhecimento de Transporte

Como você já deve saber, hoje em dia os documentos de transporte são gerados e armazenados digitalmente, ou seja, é tudo online.

Então, para começar a emitir  Conhecimento de Transporte Eletrônico (CTe) e Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônico (MDFe), basicamente você vai precisar de:

  • Credenciamento para emissão de CTe e MDFe (veja como fazer aqui)
  • Certificado Digital A1 ou A3 (saiba as diferenças entre eles aqui);
  • Computador com acesso à internet;
  • Impressora para imprimir o DACTE (Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico) e o DAMDFE (Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais);
  • Um sistema emissor de CTe e MDFe.

Emita CTe online, MDFe e CIOT em segundos, praticamente no automático, de onde você estiver. 

Como abrir uma transportadora sem caminhões?

Essa dúvida tem sido frequente, afinal estamos diante de uma nova modalidade de negócio, no qual uma transportadora não precisa investir em estrutura da mesma forma que nos modelos convencionais.

Nesse modelo, os recursos acabam sendo realocados em outras áreas, como: tecnologia, treinamento e tudo o mais que for conveniente para prestar os serviços que seus clientes desejam. 

Vejamos as diferenças entre os modelos de negócio:

Transportadoras de modelo convencional (frota própria)

São a maioria no Brasil e possuem os chamados “ativos operacionais”, ou seja, frota própria de caminhões, cavalos mecânicos e seus equipamentos, além de estruturas físicas como prédios e/ou armazéns.

Esses ativos permitem maior controle tanto sobre as equipes, quanto sobre as operações. Porém, demandam constantes investimentos em manutenção e modernização. As transportadoras convencionais também são mais impactadas pelos custos fixos como remuneração de capital, salários e encargos sociais.

Transportadoras de modelo misto (frota própria e de terceiros)

São as “semi-convencionais” e contam com frota própria mas também agregam terceiros. Por conta disso, conseguem uma maior área de cobertura de atendimento, além de melhor distribuição entre custos fixos e variáveis. 

A agilidade nas operações, com redução de custos e aumento da lucratividade, são as principais vantagens de utilizar o modelo de cargas compartilhadas.

Transportadoras não convencionais (sem frota)

São aquelas que operam os serviços de transporte de cargas sem investir em ativos como veículos, pátios, armazéns ou terminais de carga.

O diferencial desse tipo de negócio é o foco em pessoas, processos e no alto investimento em tecnologias que aproximam a oferta da demanda (embarcadores e transportadores). Exemplos desse modelo de negócio são: Uber Cargo, uShip e Mandaê, dentre outras. 

Como escolher um sistema emissor de CTe e MDFe

Escolher um sistema emissor de CTe e MDFe pode ser uma tarefa complicada para quem está começando no ramo. Então, nossa dica é que você pesquise bem e opte pela opção que melhor atenda suas necessidades.

Um bom sistema emissor de CTe e MDFe precisa ter essas características: 

  • Ser intuitivo e simples de usar, pra facilitar sua rotina;
  • Estar sempre atualizado com as últimas regulamentações do setor de transporte, pra você evitar problemas com o fisco;
  • Ser rápido, pra você ganhar agilidade e não perder tempo demais emitindo documentos de transporte;
  • Ter suporte qualificado, pra atender você sempre que tiver dúvidas ou precisar de ajuda.

É por todas essas qualidades que o SimplesCTe vem se destacando no mercado. Aproveite para conferir do que estamos falando: solicite um teste gratuito clicando aqui.

Agora que você viu tudo o que precisa saber sobre como abrir uma transportadora, aproveite para deixar um comentário caso tenha ficado com alguma dúvida.

Se você gostou desse artigo, considere se inscrever na newsletter gratuita e receba os próximos conteúdos diretamente no seu e-mail. Até a próxima!

 

Gostou desse artigo?
Inscreva-se gratuitamente e receba novos conteúdos em primeira mão!

Deixe uma resposta