O termo Frete 2.0 está relacionado ao conceito de “transportadora digital”, onde a tecnologia e a digitalização de processos tem tornado a logística mais inteligente e, por isso, mais eficiente. Como quase tudo hoje em dia, essa nova forma de gestão de fretes usa sistemas especializados e a internet para facilitar a rotina do setor de transportes. Entenda como tudo isso funciona e como aplicar o conceito de frete 2.0 na sua transportadora.

Emissão de CTe em segundos!

Emita Conhecimento de Transporte (CTe) e Manifesto Eletrônico (MDFe) praticamente no automático com o SimplesCTe!

A tecnologia vem avançando em todos os segmentos de mercado e, no setor de transportes, isso não é diferente. Processos custosos, demorados e controles que antes eram feitos no papel migraram para o digital, fazendo com que a gestão de logística e de fretes aconteça com mais agilidade e eficiência. 

De um ponto a outro, todos os documentos que envolvem o frete 2.0 são informatizados. Com isso, as empresas hoje tem acesso a diversos dados que vão da coleta à entrega, podendo controlar a qualidade do serviço prestado pela empresa de transportes.

O que é frete 2.0?

O termo frete 2.0 ou e-frete, como também é conhecido, tem tudo a ver com a logística 4.0 e refere-se à gestão de fretes, que passa a ser totalmente digitalizado através do uso de sistemas especializados. É a nova era acontecendo agora no setor.

Assim, com o aumento considerável das compras online, a transportadora tradicional se viu diante da necessidade de se transformar em uma transportadora digital. A principal diferença é que o frete 2.0 acontece através da internet, quando utilizamos canais ou sistemas digitais. Isso não acontece no modo convencional ou do jeito “antigo”, se podemos chamar assim.

Softwares inteligentes como o SimplesCTe, que emite Conhecimento de Trasporte (CTe) e Manifesto Eletrônico (MDFe) com quase nada de digitação, são capazes de gerar uma prestação de serviço mais ágil, econômica e eficiente para todos os envolvidos.

O que é logística 4.0?

O termo logística 4.0, por sua vez, é um conceito ligado à 4ª Revolução Industrial que está acontecendo hoje em dia. Essa nova revolução, imposta pela indústria 4.0, combina a logística que já conhecemos com tecnologias como a “computação em nuvem” e a “internet das coisas”. 

A “transportadora digital” está preparada para reformular processos a fim de otimizar os serviços de transporte. Também tem a necessidade de reduzir os custos e oferecer soluções mais enxutas para seus clientes. 

Com isso, podemos dizer que a logística 4.0 é uma nova fase da logística. Ela utiliza conexões inteligentes, otimizando requisitos de eficiência,  velocidade, redução de custos e a ampla disposição de informações em tempo real exigidas pela indústria para atender as demandas do mercado. A comunicação ágil é uma das maiores protagonistas dessa revolução.

Quais são as vantagens do frete 2.0?

Quando uma empresa adota o frete 2.0, a primeira coisa que nota é a diminuição da burocracia e do acúmulo de papéis. O tempo, um recurso escasso, é gerenciado de forma mais inteligente e os colaboradores podem ser alocados em funções menos burocráticas e mais estratégicas.

Com informações em tempo real, é possível emitir documentos de transporte, acompanhar o que está acontecendo no percurso e, ao concluir entregas, encerrar manifestos em questão de segundos. Além disso, as análises dos processos se torna mais simples e ágil, para que as melhorias necessárias sejam identificadas com rapidez. 

Resumindo, dentre os benefícios do frete 2.0, estão:

  • Possibilidade de automatizar e simplificar processos;
  • Redução de erros e, também, de custos; 
  • Maior segurança nos processos de rotina; 
  • Ganho de tempo com a otimização de tarefas;
  • Informações em tempo real e tomada de decisões mais assertivas. 

Como implementar o frete 2.0

Basicamente, implementar o frete 2.0 é uma questão de utilizar a tecnologia a favor do seu negócio. Criando uma cultura de gestão que utiliza sistemas inteligentes e se baseia em análise de dados, sua empresa se adapta às novas necessidades do mercado de transportes.

Outro fator importante desse conceito é relativo ao rastreamento de veículos por meio de sistemas online. Como é possível obter informações em tempo real sobre o deslocamento das mercadorias transportadas, o gestor poderá interferir caso note divergências na rota.

A gestão de pessoas não pode ficar de fora do conceito de frete 2.0. Considerando que a tecnologia passa a ser um aliado da sua empresa, é necessário que os colaboradores estejam aptos a operar as soluções inovadoras que forem implementadas.

O SimplesCTe, por exemplo, tem uma equipe preparada para oferecer treinamento de uso do sistema aos nossos clientes e seus funcionários. Além disso, o suporte está sempre pronto para auxiliar no que for preciso durante a emissão de documentos de transporte online.   

RNTRC 100% digital

Emita CTe online, MDFe e CIOT em segundos, praticamente no automático, de onde você estiver. 

Por último, mas não menos importante, é preciso analisar e revisar os processos da empresa para conferir se a qualidade deles pode ser melhorada. Afinal, a preocupação com melhorias contínuas é uma característica forte das empresas que se destacam no seu ramo de atuação. 

E então, conseguiu tirar as dúvidas sobre frete 2.0? Se este artigo ajudou você, considere se inscrever na newsletter para receber os próximos conteúdos em primeira mão, gratuitamente no seu e-mail. Dúvidas? Deixe um comentário!

 

Gostou desse artigo?
Inscreva-se gratuitamente e receba novos conteúdos em primeira mão!

Deixe uma resposta